IMPORTÂNCIA ECOLÓGICA E ECONÔMICA DOS FUNGOS

OS FUNGOS COMO DECOMPOSITORES

Os fungos são organismos extremamente importantes para o equilíbrio da natureza. As espécies saprofágicas, juntamente com determinadas bactérias, desempenham o papel de decompositores,destruindo cadáveres e restos de plantas e animais. Isso permite que a matéria orgânica dos seres mortos possa ser aproveitada pelos novos seres que nascem.

Entretanto essa mesma atividade decompositora dos fungos pode ter um aspecto negativo, destruindo roupas, objetos de couro, cercas, dormentes de madeira das estradas de ferro etc., causando ao homem grandes prejuízos econômicos.


FUNGOS E A PRODUÇÃO DE ALIMENTO

Cerca de duzentos tipos de cogumelo são usados na alimentação humana. Algumas espécies são largamente cultivadas, como é o caso do basidiomiceto Agaricus campestris; ascomicetos como a Morchella esculenta, depois de secos, constituem finíssima iguaria.


Produção de pão

As leveduras são fungos microscópicos, utilizados desde a Antiguidade na preparação de alimentos e bebidas fermentados. O levedo Saccharomyces cerevisae, empregado na fabricação de pão e de bebidas alcoólicas fermenta acúcares para obter energia, liberando gás carbônico e álcool etílico. Na produção do pão é o gás carbônico que interessa; as bolhas microscópicas desse gás, eliminadas pelo levedo na massa, contribuem para tornar o pão leve e macio.


Produção de bebidas alcoólicas

A produção dos diferentes tipos de bebida alcoólica varia de acordo com o substrato fermentado, com o tipo de levedura utilizada e com as diferentes técnicas de fabricação. Por exemplo, a fermentação da cevada produz cerveja, enquanto a fermentação da uva produz vinho. Depois da fermentação, certas bebidas passam por processos de destilação, o que aumenta sua concentração em álcool. Exemplos de bebidas destiladas são a aguardente, ou pinga, obtida a partir de fermentado de cana-de-açúcar, o uísque, obtido de fermentados de cereais como a cevada e o centeio, e o saquê, obtido a partir de fermentados de arroz.


Produção de queijos

Certos fungos são empregados na produção de queijos, sendo responsáveis por seu sabor característico. Os fungos Penicillium roquefortii e Penicillium camembertii, por exemplo, são utilizados na fabricação de queijos tipos roquefort e camembert respectivamente.


FUNGOS E PRODUÇÃO DE SUBSTÂNCIAS DE USO FARMACÊUTICO

Foi do ascomiceto Penicillium chrysogenum que se extraiu originalmente a penicilina, um dos primeiros antibióticos a ser empregado com sucesso no combate a infecções causadas por bactérias.

Certos fungos produzem toxinas poderosas, que vêm sendo objeto da pesquisa farmacêutica. Muitos fungos produzem substâncias denominadas ciclopeptídios, capazes de inibir a síntese de RNA mensageiro nas células animais. Basta a ingestão de um único corpo de frutificação (cogumelo) do basidiomiceto Amanita phalloides, por exemplo, para causar a morte de uma pessoa. Um fungo muito estudado do ponto de vista farmacêutico foi o ascomiceto Claviceps purpurea, popularmente conhecido como ergotina. Foi dele que se extraiu originalmente o ácido lisérgico, ou LSD, substância alucinógena que ficou famosa na década de 1970.

A ergotina cresce sobre grãos de cereal, principalmente centeio e trigo. Cereais contaminados por ergotina causaram, no passado, intoxicações em massa, com muitas mortes. Desde o século XVI as parteiras já conheciam uma propriedade farmacêutica da ergotina: se ingerida em pequenas quantidades, acelera as contrações uterinas durante o parto.


RELAÇÕES ENTRE FUNGOS E OUTROS SERES VIVOS

Fungos parasitas

Os fungos parasitas causam doenças ao homem, aos animais e às plantas. Um fungo parasita conhecido é o Candida aIbicans, causador de micoses brandas que atingem os dedos as mucosas vaginais. Alguns fungos infecções graves, como a blastomicose e o micetoma, com lesões profundas na pele e em órgãos internos.

Uma doença de plantas causada por fungos é a ferrugem, que ataca o cafeeiro e outras plantas economicamente importantes, provocando sérios danos à lavoura.


FUNGOS MUTUALISTAS: MICORRIZAS E LIQUENS

Certos fungos se associam a raízes de plantas, formando as micorrizas (do grego myketos, fungo e rhiza, raiz). Tanto o fungo quanto a planta hospedeira se beneficiam com essa associação. O fungo obtém das raízes açúcares, aminoácidos e outras substâncias orgânicas, das quais se nutre. Por outro lado, o fungo aumenta a capacidade de a raiz absorver minerais escassos no solo, genericamente denominados micronutrientes, fundamentais ao crescimento da planta. Trata-se, portanto, de uma ssociação do tipo mutualismo.

Os liquens são formados pela associação mutualística entre fungos e algas. Os fungos mais comuns nessas associações são os ascomicetos, e as algas componentes são, geralmente algas verdes unicelulares. Alguns liquens resultam da associação entre fungos e cianobactérias. A associação permite que os liquens habitem locais onde nem algas nem fungos poderiam viver separadamente.

Os liquens se reproduzem assexuadamente por meio de fragmentos especiais, que possuem hifas do fungo e células da alga em associação. Esses fragmentos, chamados sorédios, se destacam e são carregados pelo vento, constituindo as unidades de disseminação dos liquens.

Hosted by www.Geocities.ws
GridHoster Web Hosting
1