REPRODUÇÃO NOS FUNGOS

REPRODUÇÃO ASSEXUADA

Fragmentação

A maneira mais simples de um fungo filamentoso se reproduzir assexuadamente é por fragmentação: um micélio se fragmenta originando novos micélios.


Brotamento

Leveduras como Saccharomyces cerevisae se reproduzem por brotamento ou gemulação. Os brotos (gêmulas) normalmente se separam do genior mas, eventualmente, podem permanecer grudados, formando cadeias de células.


Esporulação

Muitos fungos se reproduzem assexuadamente por meio de esporos, células dotadas de paredes resistentes que, ao germinar, produzem hifas.

Em certos fungos aquáticos, os esporos são dotados de flagelos, uma adaptação à dispersão em meio líquido. Por serem móveis e nadarem ativamente, esses esporos são chamados zoósporos.


REPRODUÇÃO SEXUADA

Ciclo sexual em ficomicetos

A reprodução sexuada em um ficomiceto ocorre quando micélios de sexos diferentes se encontram. em Rhizopus, por exemplo, as hifas de sexos opostos formam hifas especializadas, chamadas gametângios, que crescem um em direção ao outro; ao se tocar, os gametângios se fundem.

Um ou mais núcleos haplóides de um dos sexos se fundem aos do outro sexo, originando zigotos diplóides. A região em que os gametângios se fundiram diferencia-se em uma estrutura esférica, de parede escura e espessa, onde os zigotos sofrerão meiose e cada um originará quatro esporos haplóides. Cada esporo, ao germinar, dará origem a um novo micélio.


Ciclo sexual em ascomicetos

Também nos ascomicetos a reprodução sexuada ocorre quando há o encontro de hifas de micélios de sexos diferentes. Nesse caso as hifas dos dois micélios se fundem, originando células com dois núcleos.

Em algumas dessas células os núcleos se fundem, produzindo um núcleo zigótico diplóide. Este sofre meiose e origina núcleos haplóides, que se diferenciam em ascósporos. A hifa onde tudo isso ocorreu se tranforma em uma estrutura alongada, em forma de saco, denominada asco. Quando maduro o asco se rompe, liberando os ascósporos. Ao germinar, cada ascósporo dá origem a um novo micélio haplóide.

Alguns ascomicetos formam corpos de frutificação onde se localizam os ascos. Formar um corpo de frutificação é importante para fungos que vivem em ambientes relativamente secos, como o solo e troncos podres, pois o ascocarpo protege os ascos e facilita a disseminação dos esporos.


Ciclo sexual em basidiomicetos

Nos basidiomicetos, quando micélios de sexos diferentes se encontram, suas hifas, se fundem e formam um micélio com células binucleadas ou dicarióticas. Essas hifas se organizam de maneira compacta, formando um corpo de frutificação denominado basidiocarpo, o cogumelo.

No basidiocarpo algumas hifas se diferenciam em estruturas especiais, os basídios, onde ocorre fusão dos núcleos, resultando em um núcleo zigótico diplóide. Este logo sofre meiose e origina quatro esporos haplóides, os basidiósporos.

Os basídios se localizam na parte inferior do chapéu dos cogumelos. Na extremidade livre do basídio localizam-se os quatro basidiósporos, que logo serão libertados. Ao cair em local adequado, rico em matéria orgânica, um basidiósporo germina e origina um novo micélio.

Hosted by www.Geocities.ws
GridHoster Web Hosting
1