LeibnitzMáquina de Leibnitz
 

Quando entrou na Universidade de Leipzig, com 15 anos, já possuía uma erudição que rivalizava com a de muitos de seus professores. No entanto, novos mundos abriram-se para ele na universidade. Defrontou-se pela primeira vez com os trabalhos de Johannes Kepler, Galileu e outros sábios que estavam, então, ampliando rapidamente as fronteiras do conhecimento científico. Fascinado pela velocidade do progresso da ciência, Leibniz acrescenta a matemática a seu currículo.
 Cerca de 30 anos após a construção da Máquina de Pascal, Gottfried Wilhem Leibnitz inventou um dispositivo adicional constituído por um carreto com dez "dentes", cada um dos quais é mais comprido que o anterior, que permitiu efetuar de modo automático a multiplicação e divisão.

 

Máquina de Leibniz

 Aperfeiçoamentos sucessivos a este calculador decimal fizeram-no sobreviver até ao advento da eletrônica sob a forma de máquinas de calcular, máquinas registradoras, máquinas de contabilidade, máquinas faturadoras, etc.

.
Em 1671, o filósofo e matemático alemão de Leipzig, Gottfried Wilhelm von Leibnitz (21/06/1646 - 14/11/1716) introduziu o conceito de realizar multiplicações e divisões através de adições e subtrações sucessivas. Em 1694, a máquina foi construída, no entanto, sua operação apresentava muita dificuldade e sujeita a erros. Leibnitz (ou Leibniz), perdeu seu pai quando tinha apenas 5 anos, e como o ensino na sua escola era muito fraco, aos 12 anos já estudava Latin e Grego como autodidata. Antes de ter 20 anos já possuía mestrado em matemática, filosofia, teologia e leis.

Em 1672, durante uma temporada em Paris, Leibniz começou a estudar com o matemático e astrônomo holandês Christian Huygens. A experiência estimulou-o a procurar descobrir um método mecânico de aliviar as intermináveis tarefas de cálculo dos astrônomos. "Pois é indigno destes doutos homens", escreveu Leibniz, "perder horas, como escravos, em trabalhos de cálculo que poderiam, com segurança, ficar a cargo de qualquer pessoa, caso se usassem máquinas".

No ano seguinte, ficou pronta sua calculadora mecânica, que. se distinguia por possuir três elementos significativos. A porção aditiva era, essencialmente, idêntica à da Pascaline, mas Leibniz incluiu um componente móvel (precursor do carro móvel das calculadoras de mesa posteriores) e uma manivela manual, que ficava ao lado e acionava uma roda dentada - ou, nas versões posteriores, cilindros - dentro da máquina. Esse mecanismo funcionava, com o componente móvel, para acelerar as adições repetitivas envolvidas nas operações de multiplicação e divisão. A própria repetição tornava-se automatizada.

TUNEL DO TEMPO

PERSONALIDADES HISTÓRICAS /

CONHEÇA UM POUCO SOBRE / LINKS E REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICAS /

NORMAS - PADRÕES - PRÁTICAS

ENTRADA NO MUSEU  FMET

 

 

Hosted by www.Geocities.ws
GridHoster Web Hosting
1