Site Línguas Indígenas Brasileiras, de Renato Nicolai  nicolai@indios.info; indiansbrazil@gmail.com > -- Projeto Indios.Info < www.indios.info >

Dicionário/dictionary; gramática/grammar; índio/indian

 

Vocabulário "cayapó" de São José de Mossâmedes

[coletado por Saint-Hilaire (na sua viagem ao Brasil entre 1816 e 1822)]

água		- incó
anta		- icrie		[S: icrite]
arco		- itse
boca		- chapé
bicho-de-pé	- paté
bom		- impéimparé
bonito		- itompéiparé	[S: intompéiparé]
braço		- ipá
branco		- macácâ
cabeça		- icrian	[S: o r é pronunciado com a boca fechada e se assemelha ao som do l]
carne		- jóbo
cabelos		- iquim
cavalo		- iquitachó
cervo		- impó
coxas		- icria
criança (lactente) - nhontuára
dentes		- chuá
deus		- punhança	[S: punhançá]
estrelas	- amsití
eu danço	- incréti
feio		- intomarca
flecha		- cajone	[S: o e é quase inaudível]
folha		- parachó
fruta		- patso
homem		- impuaria
homem branco	- cacatéta
homem negro	- tapanho
índio		- panariá
lua		- puturuá
mãos		- chicria
moça		- iprotuaria	[S: iprontuaria]
mulher negra	- tapanhocua
mulher		- intiera
nariz		- chacaré
olhos		- intó
orelhas		- chiccré
pé		- ipaá
pedaço de pau	- poré		[S: o r tem o som de l]
pássaro		- itchune
peixe		- tépo
peito		- chucóto
penas		- impantsa
pequeno		- ipanré	[S: o an é muito prolongado]
pernas		- ité
pescoço		- impudé
preto		- cotu
rapaz		- iprintué
rio		- pupti
sol		- imputé
terra		- cúpa	 	[S: a pronúncia do u nessa palavra corresponde ao iou francês]
ventre		- itu
vermelho	- ampiampio

Fonte: GIRALDIN, Odair. Cayapó e Panará : luta e sobrevivência de um povo jê no Brasil central. Campinas: Ed. da Unicamp, 1997. p. 173-4.

O confronto com o vocabulário de Saint-Hilaire (cujas diferenças são apontadas acima por meio de [S]) foi realizado pela última edição brasileira: SAINT-HILAIRE, Auguste de. Viagem à província de Goiás. Belo Horizonte/São Paulo: Itatiaia/Ed. da USP, 1975. p. 67-8. Convém acrescentar aqui alguns esclarecimentos de Saint-Hilaire (p. 68):

"Como ocorre com os diversos vocabulários registrados em meus dois relatos precedentes, foi seguida aqui a ortografia portuguesa, que em geral acompanha mais de perto do que a nossa a maneira como as palavras são pronunciadas. Além do mais, essa grafia admite uma acentuação prosódica(*) e indica as vogais nasais."

"(*) O u se pronuncia ou, e o nh, gn, de acordo com a pronúncia francesa. A tônica cai geralmente na penúltima sílaba, a menos que o acento (') indique uma ou várias sílabas acentuadas; quando o acento é sobre a letra o, ela é pronunciada como em nossa palavra or. O e acentuado tem o som do nosso ê; o im final é um i nasal, e o ão um on também fortemente nasal. Por ter desejado seguir a ortografia alemã, Pohl em seu vocabulário foi levado a cometer vários erros. Assim, não encontrando em sua língua uma letra correspondente ao j dos portugueses e dos franceses, ele escreveu cashoné ao invés de [em vez de] cajoné, e não lhe sendo possível reproduzir graficamente o som do nh português ou do gn francês, ele registrou tapanio em lugar de tapanho. De resto, sou levado a crer que, à falta de um melhor conhecimento da língua portuguesa, ele tenha deixado escapar vários erros. Se, por exemplo, itpé quer dizer homem branco, não é plausível que itpé-pri, evidentemente um composto de itpé, signifique criança em geral."

voltar para menu

 

 

1