Site Línguas Indígenas Brasileiras, de Renato Nicolai  nicolai@indios.info; indiansbrazil@gmail.com > -- Projeto Indios.Info < www.indios.info >

Dicionário/dictionary; gramática/grammar; índio/indian

 

Vocabulário da língua crenaque / Krenak
água		- munhâm
arroz		- maráut
anta		- ucmãrã
antebraço	- quenigré
assoviar	- uãn
amanhã		- ambim (?)
abelha		- potáil
azul		- conhárãm
amarelo		- mãgrãrã
arco		- nêm
besouro		- princãohão
boi		- mbococri
batoque labial	- gumé
batoque auricular - metók
buraco		- má
barba		- jac-jêc
braço		- anhinom
barriga		- cuâm
brigar		- nacuâm
beijar		- con-uãm
banhar-se	- quijoum
bico		- condjum (dente de pássaro)
branco		- jirûm
borboleta	- djaquequêc
bom, gostoso	- lehé (h aspirado)
boca		- nutchmá
comer		- tin (tin mangút)
comida		- mangút
comer		- mangút
café		- mierím
chuva		- munhâm (água)
canoa		- djoncát
cachimbo	- coát
casca		- cát (tchôn-cat - casca de pau)
cana		- gumim
cobra		- djuquerí
cabelo		- crêne-qué
cabeça		- crêne
coxa		- mac
costelas	- crin-dâ
céu		- tarú
cantar		- angrín
capoeira (pássaro) - ará-rát
correr		- jaquim (?), aprami (?)
cozinhar	- quinhim-qui-tót
comprar		- tiquijum-anuc
couro		- tchin-cat
calor		- húhú
cigarro		- cúm-tuhum
cera de abelha	- handéa
chora		- pãuc
criança		- crúc-não
cavalo		- crêm-djum
certo, direito	- lehé
dente		- djúm
dedos da mão	- páo-jim
dedos do pé	- páu-jim-kit
dormir		- tin-u-me (?)
defecar		- tin-mão-aúc (?)
dar		- japú-im-uc
deus		- tupan
dinheiro	- glin-glin
dançar		- tarum-grim
esperar		- djirá
excremento	- pác-pác
estrela		- ét-ét
estou com fome	- tingorám (informou-nos Crembá que tingoram significa: barriga vazia; logo, pode-se traduzir tenho fome; tin significa comer)
fogo		- djompég
flor		- amingegit
foice		- crequedãm
feijão		- djantá
formiga		- pric
flecha de taquara - uajíc
falar		- au
frio		- amburúm
fique quieto	- tóp (tóp-tunum)
filho		- cruc (minhúc cruc - meu filho)
faca		- crác
gavião		- õ-õ
grande		- djipacjou (antítese de ton-ton)
galo		- ahn-ahn
habitação, casa	- quijêm
homem civilizado - carahy
homem		- gnuck
ir, andar etc.	- patchiá
índio		- borúm
jacaré		- ôré
joelho		- cric-irí
lagarto, calango - gârárá, djucurê
lagartixa	- gatâm
língua		- jitióc
lua		- monhác
muito		- inhauít e utí
mocinha		- djocâna
matar		- coêm
milho		- uatí
machado		- grapó
mosquito	- uim
mosquito grande	- acuám
mutuca		- pram
muriçoca	- potá
mãe		- kidjônpou
mandioca	- impingí
montanha de pedra - cráctacrúc
mulher		- nhorá
mão		- páo (dorso da mão - paókmutnhá; palma da mão - paokmem)
morder		- nikaráép
morrer		- cõem
manhã		- ten-brand
meu		- minhúc
mamão		- glót
melão-de-são-caetano - pôrará
mel de abelha	- bijacãna
moço, novo	- orag (nhanhic maquinhãm, juquinim órag - nhanhic é velho, juquinim é moço)
macaco		- cupirig
não		- nuc
nambu		- abmarãã
nariz		- djin
nádega		- jotâin
nuvens		- tarú-temré
ninho		- quijêm (bacana-quijêm - ninho de passarinho)
noite		- ambim
olhos		- quitáum
orelha		- nhêm-nhôm (nhêm-nhôm-má - buraco da orelho)
onça		- cuparág
pouco		- potíc
pau		- tchôm
pedra		- tacrúc
pai		- djicâna
porco		- coré
peixe		- ambóc
papagaio	- uãcuãn
pomo-de-adão	- aó-ão
pequeno		- tón-tón
peito de homem	- catchió-jéc
perna		- marãú
pé		- páo-djá
pescar		- ambóc-joq-jeq (peixe pegar)
pulga		- tun
preto		- hím (h aspirado)
parecer, semelhar-se - tang (tang jacuhy - parece-se com jacuhy)
pente		- crêm-curam
queixo		- jaq-jét
rato		- tonmetnát
rapadura	- craftú
rosto, semblante - quitóm
rabo		- quijúc
roxo		- amjút
ruim, mau	- tón
sapo		- haôp, tchiáp
socó		- rauc-rauc
sobrancelhas	- crenqué (cabelo)
seio		- porác
sol		- tépôu
sentar-se	- rép
sabugo de milho	- uatí-páo (pau do milho)
terra		- nác
tucano		- curútchiá
trem de ferro	- joncát-nac (canoa da terra)
trovão		- tarutecrêm
tarde		- terán
urinar		- mijauc (port.?)
unha		- creng-hât
umbigo		- nhanhíc
urucu		- jocrêne
venta		- jin-ma-an
vento		- ourú
veado		- bocrím
vermelho	- brucúcú
velho		- maquinhâm
zangado		- jaquijêm

Muitas das nossas palavras já são empregadas correntemente, porém muito deturpadas e com pronúncia muito viciada.
[...]
A lista abaixo encerra alguns termos que exemplificam o modo de pronunciar dos crenaques.

lápis - rápis (com r brando)
papel - papé
relógio - reróge (com r brando)
não - nã-õ
chumbo de caça - tchiúmb
pólvora - pórv
dr. Lobo - tótó rôb
general Rondon - djinirá Rondáo
engenhoca para moer cana - inhóca
enxada - intxád
fumo - cúmo
minhoca - minhóc
peixe - pêtx
farinha - porín
açúcar - txúca
carne - câne
prégo - priêg
boi - mboi
galo, galinha - garín
abacaxi - macaxy
banana - manâna
botina - mutína
bonito - muníto
Marcelino - Matiríno
Estanislau - Taniráu
patrimônio - patelemône
amanhã - manhã
domingo - duminga
Vitória (capital do Espírito Santo) - Vitóre
espingarda - pingarda
bornal - borná
passarinho - patxarím
governo - gouvên
Rio de Janeiro - rí-djanê

Fonte: ABREU, S. Fróes. Os índios crenaques (botocudos do rio Doce) em 1926. Revista do Museu Paulista, tomo XVI, São Paulo, 1929, p. 594-600.

voltar para menu

 

 

1