Caçadores de Macacos 1

                        Mundurukus

H Florence 1828 - Munduruku com coifa emplumada

Podre (faisande)
Historia
Troféus perigosos
Extinção
Mundurukus hoje

Etnologia


monkey...homem...mono...   MAPA DO SITE ...macaco...men...macaque...hombre

 

Por que o macaco é podre

 Os índios Munduruku moram no Pará, vivem como os brasileiros de lá. Quando estavam na floresta, caçavam macacos para comê-los assados.

   Alguns macacos, como o guariba (Alouatta) e o coatá (Ateles), usam o rabo preênsil para se segurar. Às vezes, quando os índios flechavam os macacos, os animais enroscavam o rabo nos galhos e demoravam um ou dois dias para cair das árvores.

   Por isso, sua carne não era tão fresca. Alguns macacos demoravam tanto para cair que já não prestavam para comer. Os índios ficavam zangados com a caça que se desperdiçava e chamavam o macaco de bicho podre.

 


 voltar ao início

Um pouco da história dos índios Munduruku

H. Florence, 1828 - Tuchaua Munduruku

Os Munduruku dominavam boa parte do Estado do Pará. A língua desses índios é parente da língua tupi.

   Os primeiros contatos com os Munduruku datam de 1768. Esses índios eram guerreiros respeitados até pelos portugueses, que lhes pediam ajuda para enfrentar povos inimigos.

   Os Munduruku se expandiram pelas regiões dos rios Tapajós e Madeira. Suas expedições guerreiras chegaram a alcançar o Xingu e o Tocantins, indo até 

os limites orientais (a leste) da floresta Amazônica. Depois de 1851, os Munduruku de Tapajós e Madeira começaram aos poucos a fazer parte da população brasileira.

  


 voltar ao início

Inimigos dos Munduruku viravam troféus

Os índios Munduruku ficaram famosos em diversas histórias.   

Uma delas conta que esses índios guerreiros cortavam as cabeças dos inimigos mortos, retiravam o cérebro, os olhos e a língua. Em seguida, mergulhavam as cabeças no óleo de uma planta chamada andiroba e punham as cabeças para secar.

   Depois, enfeitavam as cabeças com penas e as espetavam em pedaços de paus. Essas cabeças tornavam-se então ``Pariuá-á'', os mais valiosos troféus de guerra dos Munduruku.


 voltar ao início       

Cultura Munduruku desapareceu aos poucos    

H Florence - Mulher e Criança Munduruku

Para viver, os Munduruku colhiam os produtos naturais da terra e faziam farinha. Depois, mudaram para a extração da borracha. Em 1875, havia 18 mil índios Munduruku vivendo em 32 malocas. A população foi diminuindo a partir de 1912.

   Os Munduruku iam trabalhar especialmente na extração da borracha. Eles não voltavam para as aldeias e nem criavam outras. Por isso, sua cultura foi desaparecendo.


 voltar ao início

O que mudou na cultura dos Munduruku

 Nos anos 70, o povo Munduruku tinha uma população entre 1.400 a 1.600 índios, espalhados pela reserva Mundurucânia. Nessa época, faziam comércio de peles de animais e trabalhavam na garimpagem. 

   Para ganhar dinheiro, eles saíam das aldeias e iam para os garimpos de ouro de Teles Pires, rio das Tropas e Cabruá.

   Com o dinheiro, podiam comprar relógios de pulso e rádios, entre outras coisas. Quando voltavam, sua gente ficava contente como antigamente ficava quando os guerreiros voltavam das guerras empunhando cabeças - troféus. 

Em 1996, segundo a FUNASA, 4253 Mundurukus viviam em suas aldeias no Pará.

Conheça os livros de Daniel Munduruku


voltar ao início

Outros índios

 

Pedra Furada - Ce/Br 40.000 aC.

Conheça algumas tribos de quem contamos mitos e histórias no CD-Book 

"Os segredos do Macaco"

1Mundurukus
2Waikás
3Ticunas
4Yanomamis
5Maués

     Para voltar ao poema

Escolha a página: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13

monkey...homem...mono...   MAPA DO SITE ...macaco...men...macaque...hombre

 

 

Hosted by www.Geocities.ws
GridHoster Web Hosting
1